Dialogando com Mary Gatside (3).png

Dialogando com

Mary Gartside

Este conjunto de trabalhos objetiva destacar, na história da teoria das cores, a presença de Mary Gartside, uma mulher inglesa, professora de aquarela e botânica que publicou "An Essay on Light and Shade" em 1805 e "An Essay on a New Theory of Colours", em 1808.

Seus estudos apontam para a importância de harmonizar matizes, o que é apresentado por uma série de pinturas abstratas em aquarela que ilustram as harmonias e os tons contrastantes das cores primárias e secundárias, de maneira mais orgânica do que as conhecidas rodas de cores.

Valorizar a presença de Mary Gartside no estudo da teoria das cores e aprofundar sua contribuição é um desafio que o grupo de aquarelistas se coloca, dialogando com a teoria da aquarelista inglesa e apresentando as obras que compõem esta exposição virtual.

Gabriela Luft

Harmonia, serenidade, paz. Equilíbrio. As obras apresentadas remetem ao mar, paisagem em constante mutação, podendo mudar em segundos. As obras são compostas por duas cores complementares, o azul e o laranja, junto aos vários tons obtidos a partir da mistura delas. Tomaram forma a partir de estudos da mancha "Azul"  de Mary Gartside.

Gabriela Luft. Serenidade e Serenidade II. Aquarela sobre papel. 30 x 40 cm (cada). 2022.

Obra I Gabriela Luft, Serenidade, Aquarela sobre papel, 30 x 40 cm, 2022.jpg
Obra II Gabriela Luft, Serenidade (2), Aquarela sobre papel, 30 x 40 cm, 2022.jpg

Iso Dozol

Mary Gartside caminha pelo espectro de cores, reordenando-as numa sequência de cores claras, quentes e frias. Nestas obras quis ofertar-lhe a sua própria sequência misturada com o sentido do gosto de frutas frescas para agradecê-la. Tomando da mesma paleta e fazendo a mágica das aproximações, eis que se revelam, sem limites, nuances, matizes e combinações que, de tantas, nem sei se as chamo de oferendas ou banquete.

IMG_5229.jpg
IMG_5231.jpg

Iso Dozol. Oferenda I e Oferenda II. 42 x 29,7 cm (cada). Aquarela sobre papel. 2022.

Lisete Assen

As obras apresentadas integram a Série Guapuruvu, árvores-monumentos que pontuam nossa paisagem litorânea anunciando o verão. Aqui procuro conversar com alguns dos essenciais ensinamentos de Mary Gartside: utilizar as primárias amarelo, azul, vermelho, conduzir o pigmento e a água do Amarelo ao Verde e trazer sua contrastante, o Violeta, para seu lugar próprio, a sombra.

Copy of Amarelo 8 da Serie Guapuruvu.jpg
Copy of Amarelo 10 da  Serie Guapuruvu-min.jpg

1. Lisete Assen. Amarelo (8) da Série Guapuruvu. Aquarela sobre papel. 30 x 40 cm. 2022. 2. Lisete Assen. Amarelo (10) da Série Guapuruvu. Aquarela sobre papel com intervenção digital. 30 x 40 cm. 2022.

Maria Esmênia

Uma explosão de cores frias, quentes, claras, harmonizadas em diferentes matizes e sombras. Uma releitura de trabalhos de Mary Gartside, a partir da sua teoria das cores, ou como denominado por ela: Uma nova teoria das cores. As duas obras que apresento são fruto de fusões de cores primárias e secundárias e vou chamá-las de: Meu alce preferido e, Tem um alce aí?

Meu alce preferido  (1).jpg
Onde está o Alce_ (1).jpg

1. Maria Esmênia. Meu Alce Preferido. Aquarela com colagem. 30 x 40 cm. 2022. 2. Maria Esmênia. Tem um alce aí? Aquarela com Colagem. 30 x 40 cm. 2022.

Osmar Yang

As aquarelas criadas para esta proposta utilizam basicamente as cores primárias no espectro de baixa frequência (predominância do vermelho) e alta frequência (predominância do azul) da teoria das cores, em particular das contribuições de Mary Gartside.

acap_01_1_300dpi.jpg
acap_02_1_300dpi.jpg

1. Osmar Yang. Luz do Crepúsculo. Aquarela sobre papel. 30 x 40 cm. 2022. 2. Osmar Yang. Movimento em Vermelho. Aquarela sobre papel. 30 x 40 cm. 2022.