Buscar
  • ACAP

Aquarelas da artista associada Maria Esmênia foram tema em artigo acadêmico

O artigo científico "As laranjas e a pandemia: a poética na mistura nas aquarelas de Maria Esmênia" foi publicado no início deste mês.





Escrito por Ana Maria Alves de Souza, o artigo trás uma reflexão acerca da poética da mistura, costurando a leitura de uma série de obras produzidas pela artista associada Maria Esmênia, que foram postadas em sua página do Facebook durante o início da pandemia em 2020. Confira abaixo o resumo do artigo:


Neste ensaio, intentamos apresentar uma reflexão acerca da poética da “mistura”, (COCCIA, 2018), costurando a leitura de uma série de obras artísticas produzidas pela aquarelista Maria Esmênia, que foram postadas em sua página no Facebook durante o início da pandemia em 2020, relegando-nos ao distanciamento físico e levando-nos a uma proximidade virtual. Nosso objetivo é problematizar aqui uma leitura que pretende ser estética e política ao mesmo tempo, ao abordar as formas e cores da passagem do tempo pandêmico na vida e na obra dessa artista. Vemos na série de pinturas/colagens/fotomontagens de laranjas realizadas por Maria Esmênia, e nas cores que se transformam (CRUZ, 2001), um detalhe (RANCIÈRE, 2009), um biografema (BARTHES, 2003), um instante-já (LISPECTOR, 1973), que contam a história. Assim procedendo, procuramos fazer uma leitura de um fragmento de obra de uma artista com sua singularidade, mas também remetendo-nos a um coletivo, aos elos dessa poética com um comportamento social comum a outros artistas, cada um em seu momento de vida e singularidade, todos compartilhando em seus corpos as marcas do processo do tempo (GOLDEMBERG, 2013) que passa, misturando-se com a prática artística na vida cotidiana da cidade, num movimento estético urbano espalhado pelo mundo.


Você pode conferir o artigo na íntegra através deste link.




Acompanhe mais notícias dos associados em nossas redes sociais: facebook e instagram.


#arte #art #AcapArtSC #AssociadosACAP











5 visualizações0 comentário